Início
Início
Notícias
Programa Bairros Saudáveis conta com 465 candidaturas abertas
Lusa, 20-11-2020

O Programa Bairros Saudáveis conta atualmente com 1.169 entidades de todo o território nacional registadas na plataforma e 465 candidaturas abertas, foi hoje anunciado. O anúncio foi feito pela coordenadora nacional do programa, Helena Roseta, na cerimónia de assinatura de um protocolo de colaboração entre o Programa Bairros Saudáveis e a Associação Nacional de Médicos de Saúde Pública (ANMSP), que decorreu 'online' devido à pandemia de covid-19.

O concurso para apresentação de projetos no âmbito do Programa Bairros Saudáveis, que se destina às comunidades mais vulneráveis, abriu em 29 de outubro e decorre até 26 de novembro, através do 'site' www.bairrossaudaveis.gov.pt, dispondo de 10 milhões de euros.

Isabel Loureiro, também coordenadora do projeto, salientou que os médicos de saúde pública são um "elo de ligação fundamental com as comunidades" e "essenciais para dar a conhecer as realidades regionais, locais e nacionais". Podem, por isso, "aumentar a literacia em saúde" destas populações e "alavancar potencialidades locais", referiu.

Por seu turno, o presidente da ANMSP, Ricardo Mexia, considerou que "a pobreza é a maior determinante de saúde", recordando que, durante várias semanas, os locais em que houve "mais dificuldades em controlar a pandemia" diziam respeito a "contextos de desigualdade social". Ricardo Mexia apelou também aos médicos de saúde pública para que, quando solicitados, colaborem com o projeto e destacou que, apesar do Programa Bairros Saudáveis ter sido criado no contexto de pandemia, espera "que este legado possa perdurar mais no tempo".

No mesmo sentido, o secretário de Estado Adjunto e da Saúde, António Lacerda Sales, afirmou que este é um trabalho "que vai muito para além do momento" de pandemia que se vive, servindo para "melhorar as condições de quem vive nesses territórios no futuro". "E melhorarmos a saúde individual, a saúde das famílias e a saúde das comunidades", acrescentou.

Em vigor desde julho, o Programa Bairros Saudáveis visa apoiar intervenções locais de promoção da saúde e da qualidade de vida das comunidades territoriais, no território continental português, a executar até ao final de 2021, através de projetos apresentados por "associações, coletividades, organizações não governamentais, movimentos cívicos e organizações de moradores".

Desenvolvidos nos eixos da saúde, social, económico, ambiental ou urbanístico, os projetos a candidatar podem ser pequenas intervenções (até 5.000 euros), serviços à comunidade (até 25.000) ou projetos integrados (até 50.000 euros), em que são todos avaliados e pontuados por um júri independente.

Dirigido ao território continental português, o Programa Bairros Saudáveis dispõe de cinco equipas regionais - Norte, Centro, Lisboa e Vale do Tejo, Alentejo e Algarve -, que estão a trabalhar na identificação dos territórios vulneráveis, inclusive através de sessões de esclarecimento aos cidadãos, transmitidas 'online' no Facebook do Programa , para explicar como se faz um projeto e como se preenche o formulário de candidatura.